Sonhos no Gelo

10 julho, 2015

Sonhos no Gelo é um filme que nos relata a história de uma garota que se ver diante de um sofrido dilema: Os sonhos que eu projetei para o meu futuro são meus sonhos mesmo ou são só os sonhos que a minha mãe sonhou para mim? Deveria eu ir atrás desses sonhos ou tentar descobrir o meu próprio destino, um caminho alternativo que me direcione a realização pessoal, por mais difícil que eles sejam? É um filme com temática adolescente, que aborda aquela época da vida em que os jovens precisam fazer escolhas, às vezes definitivas às vezes não, mas que de uma forma ou de outra irão repercutir no futuro.

Esses conflitos são tão atuais no nosso cotidiano. Mas do que supomos, não digo somente entre os estudantes, quando tem de decidir o que querem ser no futuro ao terminarem o ensino médio. No entanto, essas crises pessoais também povoam o mundo dos adultos. Porque quem ai que nunca se questionou: Tenho eu conseguido alcançar os sonhos que projetei? Será que os meus desejos se realizaram ou acabaram engavetados, porque acabei indo por um caminho onde falaram que eu deveria ir e nessa acabei esquecendo de ouvir a voz de dentro, Será?

Sonhos no Gelo trata deste tema de um jeito um tanto afetuoso, mas sem essa de ingenuidade. Casey Carlyle (Michelle Trachtenberg), a protagonista do filme, é uma garota tímida que está terminando o ensino médio, desde de criança idealisou ingressar na Universidade de Harvard. Ela tem um talento natural para a Física e gosta de passar as tardes livres praticando patinação no lago congelado perto de sua casa. Casey, não é boa em relaciona-se com pessoas de sua idade, por isso só tem uma amiga e não sabe reagir frente às humilhações, como quando uma colega dela se aproxima nos corredores da escola, e lhe dá um convite para uma festa. Casey pensa que o convite é para ela, mas logo descobre que é para que o entregue a um rapaz que estuda na mesma sala dela. 


Casey tem que preparar um trabalho final para escola e se ela conseguir dar um toque pessoal que valorize a sua pesquisa, pode superar o difícil caminho que é o ingresso a universidade e, até poderia conseguir uma bolsa de estudos. Estimulada por Bast, seu professor de física, que crê que ela tem potencial para obter uma bolsa de estudos e participar do Programa de Física de Harvard. Mas ela precisa apresentar um trabalho pessoal para ingressar, ou seja, mas que escrever uma teoria ela tem de demonstrar na prática que sua teoria funciona.

Um dia ao estar assistindo com sua amiga uma competição de patinagem no gelo na televisão, fica impressionada com a apresentação de uma das competidoras e tem a idéia do que será o eixo do seu trabalho e, por tanto, do filme e do destino final de Casey.

Ela está convencida que atrás dos belos movimentos da patinação há uma fórmula física que pode ajudar a aperfeiçoar e compreender melhor esses movimentos. E ela está disposta a demonstrar isso tanto na teoria quanto na prática.


A princípio sua tentativa de esboçar e provar sua teoria é barrada pela treinadora Tina Harwood (Kim Cattrall), que a julga precipitadamente como uma espiã das garotas que estão se dedicando ao Campeonato Estudual, mas Casey consegue convencê-la de que é apenas uma estudante. No entanto, a jovem percebe que, para ter mais sucesso na teoria, ela terá que sentir o movimento na prática e começa a trabalhar arduamente para pagar sua inscrição na turma para iniciantes.

Mas, à medida que Casey se esforça para aprender a técnica dos movimentos, fica fascinada com a patinação e descobre que ela mesma pode ser uma grande patinadora, por tanto, o que no começo do seu trabalho não passa de um complexo tema de pesquisa para encontrar uma fórmula no mundo da física, se transforma em uma paixão e na possibilidade de ser alguém que nunca imaginou que poderia ser.

Tina se dar conta que a moça tem facilidade para o esporte e aprende com muito mais rapidez que outras meninas. Logo, ela não tarda a progredir nos ensaios e, quanto mais se sobressai, mais obstáculos terá que superar. Dentre eles estão a indignação de sua mãe (Joan Cusack), uma professora de literatura inglesa “ultra” feminista que sonha com um futuro intelectual para sua filha. Apoia a filha para que possa ingressar na universidade, mas não aceita que possa se desviar do caminho e dos valores que a ensinou. Ao descobrir que a filha não que ir mais para Harvard e que a sua escolha não tem nada a ver com o que sonharam a vida toda, se sente traída. 


Além das dificuldades de se relaciona-se com a mãe, uma vez que ela não compreende o que a filha quer e, principalmente, que ande com seus próprios pés. Ainda tem de lidar com o ambiente extremamente competitivo, marcado por ambições pessoais e traições. No entanto, o enfrentamento mais decisivo, é de Casey com ela mesma. Casey cresceu condicionada pela mãe para triunfar no mundo acadêmico e quando ela disse “não” para Harvard toma a decisão mais importante da sua vida e não tem com quem compartilhar suas aspirações, o que é muito difícil para um filho, principalmente se sabe que as portas do coração do pai/mãe estão fechadas pelos seus temores. Porém, Casey, com muita maturidade, decide caminhar com firmeza nessa luta de encontrar seu próprio caminho. 


Em resumo, sonho de gelo é um filme que nos ensina que é possível encontrar nosso destino, ainda que caminhemos por caminhos tortuosos, mesmo que tenhamos que enfrentar “um leão por dia”, mesmo que hajam dificuldades, é possível sim, chegar ao nosso destino sem destruir ninguém, sem cair em vícios, sem se sentir vítima de ninguém. A decisão é nossa e de ninguém mais.  


O filme aponta para a superação, a perseverança, e para o fato de que você tem que ser você. Vale super a pena conferir! P.s. Eu chorei litros hahahaha :D

6 comentários:

  1. Já vi esse filme algumas vezes e adoro, ainda não me cansei de assisti-lo! Beijos, Liberando Sorrisos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já entrou pra lista dos meus favoritos rsrsrsrs :D

      Excluir
  2. Fiquei curioso para ver esse filme pois me chamou muita atenção pelo fato de muitas vezes nossos pais acharem que os sonhos deles devem ser os nossos sonhos. Obrigado pela dica :)

    ANDYZANDO

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anderson, quando tiver um tempo assista, vale a pena. Um filme na minha opinião muito motivador para correr atrás dos sonhos. Além de abordar esses conflitos familiares, tão atuais e recorrentes em qualquer tempo!

      Beijos :*

      Excluir
  3. Eu já assisti esse filme, é muito bom. Gostei também bastante da resenha foi bem explicativa. Beijos♥
    www.redesscobrir.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. EU SOU A PATINADORA EU VOU COMTINUAR O MEU SONHO VAI COMTINUAR COM MEU SONHO EU SOU A PATINADORA

      Excluir