Sobre escolher

11 outubro, 2015

Olho para mim, para minha vida e sinceramente tenho um pouco de medo, de não saber o que estou fazendo, tenho medo dessas escolhas que dia pós-vez sou levada a tomá-las sem que eu possa escolher, não escolher coisa alguma.

Tenho medo de ter pegado a canoa errada, de estar remando contra a maré esse tempo inteiro, tenho medo de não conseguir mais voltar, ou melhor, de voltar e nada mais ser o mesmo como de antigamente. Você alguma vez já se sentiu assim? Isso me assusta, muito.

Aí eu pergunto, será que no dia a dia tenho usado as cores certas para pintar o meu dia? Será que eles têm sido mais cinzas porque por preguiça ou comodidade, deixei de experimentar o colorido que as cores podem proporcionar ao misturá-las?

 Eu nunca fui muito boa em tomar grandes decisões, disso lembro-me bem. Porque desde pequena aprendi que tomar decisões é escolher entre uma coisa e outra e às vezes tudo o que eu quero é os dois. As escolhas podiam vir com uma amostra grátis. Poder experimentar uma provazinha de nada e depois, com convicção opinar, sim é isso que quero.


E não, isso não é pedir demais, isso é ser justo, já que toda escolha, certeira ou errada, também é para vida toda.

0 comentários:

Postar um comentário